Covid 19 - Sisemp solicita liberação de serviços públicos não essenciais

Para o Sisemp, medida pode contribuir no achatamento da curva de transmissão do Coronavirus
05/05/2020 05/05/2020 16:32 214 visualizações

 

Em razão dos esforços realizados por toda a sociedade no combate o Coronavírus (Covid 19) e reconhecendo que as ações da gestão municipal de Palmas, através do  Decreto nº 186 de 14 de março de 2020, surtiram o efeito inicial no achatamento da curva da doença, e que o afrouxamento do distanciamento social por parte da população,  tem ocasionado o aumento de casos da Covid 19 na Capital, o Sindicato dos Servidores Municipais de Palmas (Sisemp) enviou ofício à Prefeitura Municipal solicitando a liberação de todos os servidores que nao estão executando serviços essenciais. 

No ofício o Sindicato ressalta que "é inquestionável que as medidas céleres de distanciamento social  adotadas pela atual gestão estão demonstrando sucesso, principalmente no que se refere ao achatamento da curva de contaminação, porém algumas medidas administrativas pontuais relacionadas ao serviço público ainda podem ser tomadas, visando evitar que servidores públicos responsáveis por atividades não essenciais sejam foco de transmissão, ou até mesmo contaminados, no exercício de suas funções".

Para o Sisemp  a liberação das atividades não essenciais pode resultar na perda dos ganhos até então obtidos com o distanciamento social implementado, e terá o efeito tão somente de postergar o colapso do sistema de saúde palmense. 

Desta forma, o Sindicato solicita que sejam adotadas medidas administrativas para suspender de forma imediata as atividades não essenciais no âmbito de todos os órgãos públicos municipais, objetivando um menor movimento humano, e assim a menor possibilidade dos servidores públicos municipais estarem sujeitos a contaminar ou serem contaminados pelo novo coronavírus.

"Sabemos que a maioria dos  servidores se locomove através do transporte coletivo e que, com a transmissão comunitária já existente em Palmas, os riscos de contágio podem aumentar expressivamente. Devido a estes e outros fatores de risco, solicitamos esta suspensão.", afirma o presidente do Sisemp, Heguel Albuquerque.