Após um mês e meio do anúncio de pagamento, Prefeitura se cala sobre retroativo

Servidores aguardam resposta quanto a contraproposta, apresentada pelo Sisemp, de parcelamento mais justo.
13/12/2021 13/12/2021 11:22 816 visualizações

  

Era um dia de festa! Em 28 de outubro em comemoração ao ‘Dia do Servidor’, a Prefeita de Palmas fez um grande anúncio, o pagamento do retroativo das progressões e titularidades dos servidores municipais. Entretanto, o que era para ser grande, fazer alguma diferença, foi dividido em parcelas reduzidas de até 60 vezes, e assim, diante da insatisfação dos servidores e da apresentação de uma proposta melhor por parte do Sisemp, a Prefeitura se calou e já são quase dois meses que o pagamento se tornou apenas uma promessa.

Em 28 de outubro, depois de mais de cinco anos, a Prefeitura de Palmas anunciou uma proposta para o pagamento do retroativo das progressões atrasadas dos servidores municipais de Palmas. Entretanto, a proposta apresentada diluiu os valores a receber da maioria dos servidores em parcelas de até 60 vezes, o que tirou todo o poder de compra destes. De acordo com a proposta da gestão municipal, quem teria direitos a receber acima de R$ 4 mil, receberia em 60 vezes, o que significa parcelas a partir de R$ 66, 00 que atualmente já não fazem diferença financeira para o servidor e que em cinco anos será ainda mais desvalorizado.

Diante dessa questão e da insatisfação da maioria dos servidores, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Palmas (Sisemp) solicitou reunião e apresentou proposta de um parcelamento mais justo. A contraproposta apresentada pelo Sisemp diminui o parcelamento para até 49 vezes, dentro do limite mensal estabelecido pela Prefeitura de R$ 1.684.672,00 (um milhão, seiscentos e oitenta e quatro mil e seiscentos e setenta e dois reais).

Na contraproposta do Sisemp aqueles que têm a receber até R$ 2 mil e os aposentados e pensionistas, receberiam em apenas uma parcela; já os que têm de R$ 2 mil a R$ 5 mil, receberiam em 21 parcelas; de R$ 5 mil a R$ 15 mil em 39 parcelas e a partir de R$ 15 mil em 49 parcelas. O objetivo foi diminuir o número de parcelas daqueles servidores que têm menos a receber e por esta questão, teriam esse valor muito diluído mensalmente no parcelamento apresentado pelo município, além de dar prioridade de pagamento aos aposentados e pensionistas.

Porém, diante de todo o esforço do Sindicato em dialogar e apresentar uma forma de pagamento que não onerasse ainda mais os cofres públicos e fosse mais justa para os servidores, a Prefeitura de Palmas se calou, gerando o questionamento: A Prefeita Cinthia Ribeiro tem realmente interesse em realizar esse pagamento?

“Diminuir o parcelamento é bom para o servidor e é bom para o município, uma vez que o dinheiro vai girar na economia local, fazendo diferença nos setores de comércio e serviços, o que não vai ocorrer com a diluição absurda dos valores em até 60 vezes. Então, se realmente quer realizar o pagamento qual a razão da gestão não aceitar a contraproposta ou apresentar algo melhor? ”, questiona o Presidente do Sisemp, Heguel Albuquerque.